Suspensão sofre nas estradas e ruas do Brasil

Praticamente metade (49,9%) das rodovias brasileiras tem algum tipo de problema, sendo classificadas com ruim ou péssima pela Pesquisa CNT de Rodovias 2014 (veja a pesquisa). Isso quer dizer que apresentam buracos, trincas, afundamentos, ondulações, entre outros problemas. O relatório da pesquisa é bem detalhado e mostra uma realidade bem dura para as estradas o que acredito não é diferente das ruas das cidades.


Essas péssimas condições comprometem a segurança de quem vai dentro e fora do carro e ainda causa um aumento nos gastos com a manutenção do veículo, principalmente com suspensão, pneus e freios.


Para minimizar os estragos na suspensão, a dica é, em locais de pavimentação ruim, diminuir a velocidade e ter muito cuidado para entrar e sair de buracos e saliências, procurando exigir o menor esforço possível dos componentes.


Além dos desgastes nos componentes da suspensão, amortecedor, mola, pivô, terminais, caixa de direção, entre outros, tem também um aumento de consumo de combustível.

Os fabricantes de amortecedores, como a Monroe e Cofap, recomendam que seja feito uma checagem da suspensão a cada 10.000 km. Mas se o veículo apresenta algum tipo de sintoma como, solavancos, barulhos, saída em curvas, perda do contato do pneu com o solo, aconselho a fazer imediatamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.